Notícias de União e Região

Comvap impulsiona geração de empregos na região

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) foi criado como registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

É utilizado pelo Programa de Seguro-Desemprego, para conferir os dados referentes aos vínculos trabalhistas, além de outros programas sociais.

Este Cadastro serve, ainda, como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que subsidia a tomada de decisões para ações governamentais.

No Piauí, no consolidado do semestre, foram admitidos 47.743 trabalhadores e demitidos 47.637 trabalhadores, com a criação de 106 novos trabalhadores, com uma variação de 0,04%.

Em 12 meses, no Piauí foram criados 2.121 novos empregos formais porque no período foram admitidos 93.519 empregados e demitidos 91.470, com uma variação de 9,73%

Em União, com produção anual na casa de 1 milhão de toneladas,a COMVAP é a principal fonte de geração de empregos onde de forma direta e indireta Atualmente, a Comvap gera quase 10 mil empregos, entre diretos e indiretos. São cerca de 1.100 cortadores de cana e mais 1 mil funcionários de apoio, totalizando pouco mais de 2 mil empregos diretos. 

Já os indiretos, cerca de 7 mil, são formados pelas empresas que fornecem cana-de-açúcar para a Comvap, que faz a transformação da matéria- prima em açúcar e álcool, já que toda sua área plantada fica aquém da capacidade de produção de beneficiamento da empresa. 

“Quando assumimos há mais de 15 anos, a usina era produtora exclusivamente de etanol, era uma destilaria. Estabelecemos um primeiro plano diretor de elevar para 1 milhão de toneladas, praticamente multiplicar por quatro o contingente. Hoje, a empresa produz açúcar, álcool e exporta um pouco de energia gerada com o bagaço de cana. Durante a safra, somos autossuficientes em energia utilizada em nossos escritórios, fábrica e irrigação”, explicou o diretor de Produção.

Esses investimentos movimentaram toda a economia da região de União, que viu melhorar sua arrecadação de ICMS, o principal imposto de produção de bens do país. Também a geração de empregos diretos e indiretos tem ajudado a diminuir a dependência das famílias do município da agricultura de subsistência”.

“Do 1 milhão de toneladas que moemos ano passado, 20% teve que ser comprado de empresas aqui na região da Grande Teresina para podermos fazer mais açúcar e álcool. Mas pretendemos expandir nossa produção própria. Já adquirimos 1.500 hectares e vamos ampliar a área plantada, que hoje chega a 13 mil hectares”, conta o diretor de Operações da empresa.

O recorde de produção também traz benefícios para os cortadores de cana. A empresa criou uma política de gratificação que aumenta a remuneração do trabalhador que ultrapassa as metas definidas pela indústria, durante a colheita.

“Hoje, cada trabalhador colhe, em média, 4 toneladas e meia de cana-de-açúcar por dia, mas há alguns que chegam a atingir 12 toneladas. Esses chegam a ganhar R$ 2 mil por mês, bem acima da média salarial, que é de R$ 700,00”, explica.

Os cortadores têm vários benefícios, como acompanhamento médico, seguro de vida e acidentes pago pela empresa e transporte entre o trabalho e suas casas. A carga horária de trabalho é de 7h20 por dia. “A colheita começa às 7h. Eles param às 11h, almoçam e trabalham novamente do meiodia até as 15h20”,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: