Notícias de União e Região

Após fraturar o fêmur em manifestação da Assembléia Legislativa, professora ficará 90 dias licenciada do trabalho

A professora Patricia Andrade, que quebrou o fêmur após ser derrubada nas manifestações que aconteceram na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) na última quinta, passou por um procedimento cirúrgico, teve alta médica neste sábado (23) e  já se encontra em casa.

Em entrevista ao Cidadeverde.com, a professora conta que os médicos implantaram dois pinos para restabelecer o osso, que teve um ponto de fratura após a queda, e deverá ficar 90 dias sem trabalhar ou realizar esforços até restabelecer o movimento.

Patrícia participava da manifestação pelo reajuste dos professores da rede estadual e estava próxima a passarela da Alepi, quando os seguranças do deputado Themístocles Filho (MDB) começaram a afastar as pessoas que se aproximavam.

“Estou medicada por conta da cirurgia que foi quinta, ontem passei o dia medicada, mas dói. Eu vou ter que comprar uma cadeira de rodas. Eu nem estava no tumulto eu estava encostada ao lado com outros professores quando os seguranças passaram abrindo espaço e empurrando as pessoas, e numa hora dessas, me empurraram e eu caí de costas e quando levantei não consegui mais firmar meu pé no chão”, relembra a professora.

Patrícia conta que hoje é professora da rede federal, no IFPI, mas já foi da rede estadual e é sensível a causa dos colegas de categoria. Além de se recuperar, ela afirma que buscará na Justiça a reparação ao dano.

Fonte: cidadeverde.ckm

Comentários estão fechados.

%d blogueiros gostam disto: