Notícias de União e Região

Ministério da Economia e Banco Central desmentem governador do Piauí

O polêmico projeto do empréstimo de R$ 1,5 Bilhão do governo do Piauí junto ao Banco Brasil Plural, tem um novo capítulo. Apesar de já aprovado pela Assembléia Legislativa do Piauí, o assunto não foi encerrado. Durante a tramitação do projeto na ALEPI, Wellington Dias, em entrevista a uma rádio da capital, disse que o empréstimo foi referendado pelo Ministério da Economia e Banco Central. Ao ouvir a informação, o Deputado Estadual, Gustavo Neiva, solicitou informações à Secretaria do Tesouro Nacional e a resposta foi imediata.

Gustavo Neiva prova que Wellington Dias usou informação inverídica

A subsecretaria financeira de assuntos intergovernamentais, Pricila Maria Santana respondeu ao deputado, Gustavo Neiva no dia 30 de setembro afirmando: […Assim, em resposta aos questionamentos formulados no ofício, informamos que esta secretaria não participou de tratativas a respeito da contratação das operações de créditos, descritas no expediente em questão. Sendo que a definição de critérios para a escolha de instituições financeiras credoras, encerem-se na órbita da autonomia dos entes da federação, conforme expõe a Constituição Federal… Em consulta ao sistema de análise da dívida pública, operações de créditos e garantias da União, Estados e Municípios, não se verificou a existência de pedido de verificação de pedido de cumprimento de limites e condições do Estado do Piauí, em trâmite nesta secretaria], disse a subsecretária do Tesouro Nacional, Pricila Santana.

O Banco Central também se pronunciou sobre o assunto, através da Ouvidoria e recomenda que o assunto seja levado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí. [Informamos que ao Senhor, Gustavo Sousa de Neiva, que sua manifestação foi levada ao conhecimento da área de fiscalização do BC. Por tratar-se de acordo entre o estado da federação e a instituição financeira, sugerimos que apresente seus questionamentos ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí], informa a resposta do Banco Central.

O governador Wellington Dias usou o nome das duas instituições, Ministério da Economia e Banco Central, como forma de convencer a opinião pública de que o volumoso empréstimo contraído numa instituição financeira cujo capital é de apenas R$ 700 milhões de reais. Isso mesmo, Wellington Dias pegou R$ 1,5 Bilhão de reais em um banco que não tem nem a metade do volar em capital. É claro que narrativa do governador convenceu a sua assembleia legislativa, sim, Wellington Dias tem a quase totalidade dos deputados estaduais sob seu controle. Mesmo assim, a oposição não se deu por vencida e foi buscar os devidos esclarecimento junto ao Ministério da Economia e ao Banco Central; as duas instituições desmentem o governador, Wellington Dias – PT.

Gustavo Neiva é o principal opositor ao governo de Wellington Dias. O parlamentar comentou as respostas que recebeu do Banco Central e do Ministério da Economia: [a resposta foi divergindo daquilo que o governador tinha afirmado aqui no estado do Piauí. O governador que a escolha do Banco Brasil Plural teria sido um entendimento não só do governo do estado, mas também com o Ministério da Economia e com o Tesouro Nacional e disse claramente que quem cuida de bando é o Banco Central! Então, com base nessas afirmações do governador, nós provocamos esses órgãos e recebemos as respostas. Nós questionamos esses órgãos e de que forma eles participaram da escolha desse banco Brasil Plural. O Tesouro Nacional foi categórico em afirmar que não participou de nenhuma tratativa, que não participou da escolha do banco Brasil Plural; como também ele nos informou que consultando o setor competente do Tesouro Nacional para avaliar a capacidade dos estados em contrair operações de empréstimos, ele nos informa que lá não há nenhum pedido do estado do Piauí para avaliar essa capacidade de endividamento. O Banco Central foi mais além, o BC nos informou que encaminhou nossos questionamentos ao setor de fiscalização do Banco, mas sugeriu encaminhar esses questionamentos ao Ministério Público e ao TCE. Isso comprova que as dúvidas que a oposição levantou sobre o empréstimo se confirmam], disse Gustavo Neiva, durante entrevista a uma rádio de Teresina,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: