Notícias de União e Região

Terceirizados que prestam seviços à prefeitura de União sofrem com atrasos nos pagamentos

O último valor recebido pela empresa (terceirizada) foi de R$ 30.205,39; no dia 17 de agosto do corrente ano (informação do próprio portal da transparência).

De acordo com o Portal da Transparência de União (uniao.pi.gov.br), o a empresa MEGA-ON, tem mais de R$ 1 milhão em valores empenhados entre 16 de julho e 12 de setembro. O último valor recebido pela empresa foi de R$ 30.205,39; no dia 17 de agosto do corrente ano (informação do próprio portal da transparência). Veja a resumo da redação do contrato de prestação de serviços da empresa com a prefeitura de União: [VALOR QUE SE EMPENHA PARA COMPLEMENTAÇÃO DO EMPENHO Nº 301006 MÃO DE OBRAS TERCEIRIZADA DOS SERVIÇOS DE AGENTE DE LIMPEZA PUBLICA (GARI), ELETRICISTAS, MOTORISTAS, OPERADORES DE MAQUINAS E VIGIAS, REFERENTE AO MES JANEIRO/2018, CONFORME ADESÃO AO PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2017 PMT-MA].

PRINT: PORTAL DA TRANSPARÊNCIA – uniao.pi.gov.br
PRINT2: PORTAL DA TRANSPARÊNCIA. LEGENDAS: NP = NÃO PAGO; PG = PAGO E, VR = VALORES RECEBIDOS
PRINT3: PORTAL DA TRANSPARÊNCIA 18/10/2018. uniao.pi.gov.br

Pela própria redação do empenho, a referida terceirizada é responsável pelos serviços de LIMPEZA PÚBLICA (gari), ELETRICISTAS, MOTORISTAS, OPERADORES DE MÁQUINAS E VIGIAS. Esses profissionais estão com seus respectivos salários atrasados e sem previsão de pagamento.

Servidores de diversos setores, contratados via empresas terceirizadas que prestam serviços à prefeitura de União, estão com seus salários atrasados e sem previsão de uma dada para receber os pagamentos. “Lá em casa a situação está difícil, já estamos entrando no terceiro mês sem receber pagamento e hoje a CEPISA foi lá e cortou a energia… estamos sem poder comprar o que comer e agora ainda ficamos no escuro”, disse a esposa de um prestador de serviços que pediu para não ser identificada.

A falta de pagamento dos servidores terceirizados está provocando inclusive queda nas vendas no comercio local. Se os prestadores de serviços não recebem pagamentos o comércio não vende. “Eu num tenho mais cara para chegar na quitanda e tentar comprar alguma coisa fiado… a prefeitura não dar nem uma esperança para a gente”, disse A. F. S, que também não quis se identificar.

De acordo com dona Francisca, esposa de um prestador de serviços; na prefeitura não dão nem uma previsão e ainda atribuem o atraso ao baixo desempenho dos candidatos do prefeito no primeiro turno. “O secretário fez foi me questionar perguntando o que a gente ainda quer com pagamento, se os candidatos do prefeito tiveram poucos votos? O que nós prestadores de serviços temos com votação de ninguém? Agora é bonito pra gente, trabalhar e não receber e agora ter a luz cortada por falta de pagamento… meu esposo trabalhou, queremos o pagamento”, desabafa a dona Fátima.

Contatamos com a prefeitura por meio da assessoria de imprensa, para que desse uma resposta a respeito do atraso do pagamento dos terceirizados, mas ainda não obtivemos respostas.

Deixe uma resposta