Notícias de União e Região

Educação estadual vive situação de penúria

Esse ano tivemos quase quatro meses perdidos por conta da greve

    Escolas já estão parando por falta de transporte e por falta de pagamentos dos professores seletistas

Penúria, é um termo que define bem a real situação pela qual a educação da rede estadual está atolada! Esse ano tivemos quase quatro meses perdidos por conta da greve. Greve esta ocasionada pela quebra de acordo do governo do estado para com os servidores da educação.

Quando finalmente a greve acaba, o ice berg se revela maior do que inicialmente parecia. O setor de transporte escolar também enfrenta dificuldades, por conta da falta de pagamento dos serviços prestados. Em meio à crise do transporte escolar, uma operação da Polícia Federal é deflagrada na sede da secretaria estadual de educação por conta de fraudes em processos licitatórios. A máfia do transporte escolar foi revelada através da operação Topic; apontando desvios de mais de R$ 119 milhões de reais, de recursos da educação!

Após a operação Topic, a situação do transporte escolar estadual, que já era grave, ficou ainda pior. Aqui mesmo em União, centenas de estudantes estão perdendo aulas por falta de transporte. Até mesmo as famílias que estavam levando seus filhos para as escolas do estado, já começam a fraquejar, por conta dos preços dos combustíveis.

Pais de alunos de algumas escolas estaduais em União, já chegaram a comunicar à direção das escolas, que não terão mais condições de continuar levando seus filhos para a escola. Informações dão conta de que, em Novo Nilo, escola da rede estadual parou de funcionar; primeiro por falta de transporte para os alunos e depois por falta de pagamento dos seletistas.

Não há outra definição para a situação da educação da rede estadual. É penúria mesmo! Enquanto isto, o governo do estado vende a imagem de um estado que segundo a teoria do governador, W. Dias, o estado é melhor que o jardim do Éden. O fato é que, a realidade, para quem precisa da educação pública é um verdadeiro calvário!

Deixe uma resposta